1964

Notícias de 01/04/1964 apoiando a Ditadura Militar (em praticamente todo Brasil).


“Desde ontem se instalou no País a verdadeira legalidade […] Legalidade que o caudilho não quis preservar, violando-a no que de mais fundamental ela tem: a disciplina e a hierarquia militares. A legalidade está conosco e não com o caudilho aliado dos comunistas.”

Editorial do Jornal do Brasil – Rio de Janeiro – 1º de abril de 1964

  • Legalidade ? Que forma estranha de definir legalidade.

 

“Multidões em júbilo na Praça da Liberdade. Ovacionados o governador do estado e chefes militares. O ponto culminante das comemorações que ontem fizeram em Belo Horizonte, pela vitória do movimento pela paz e pela democracia foi, sem dúvida, a concentração popular defronte ao Palácio da Liberdade. Toda área localizada em frente à sede do governo mineiro foi totalmente tomada por enorme multidão, que ali acorreu para festejar o êxito da campanha deflagrada em Minas […], formando uma das maiores massas humanas já vistas na cidade.”

O Estado de Minas – Belo Horizonte – 2 de abril de 1964

  • Por mais que eu não tenha presenciado esta época, é até irônico pensar que realmente houve algum tipo de “comemoração” ainda mais de tudo que veio a seguir e durou tanto tempo e do jeito que aconteceu. Democracia ? Que democracia ? Se houve mesmo democracia, caça a comunistas e até artistas, políticos, pessoas não teria acontecido.

Os bravos militares

“Salvos da comunização que celeremente se preparava, os brasileiros devem agradecer aos bravos militares que os protegeram de seus inimigos […] Este não foi um movimento partidário. Dele participaram todos os setores conscientes da vida política brasileira, pois a ninguém escapava o significado das manobras presidenciais.”

O Globo – Rio de Janeiro – 2 de abril de 1964

O próprio jornal O Globo resolve criar um “anti-apoio editorial” desdizendo no dia 31/08/2013 (tantos anos depois assim ?) com o título Apoio editorial ao Golpe de 64 foi um erro.

  • Só o título já dá motivo de dar risada. Que inimigo ? Se nem sequer houve a “democracia” eles poderiam simplesmente fazer o que quiser, com quem quiser e nem tem como dizer que havia de fato algum inimigo. O próprio jornal, decidiu mais de 40 anos depois desdizer o que foi dito e só depois de terminar a Ditadura. Será que manterá a “tal palavra” atual no futuro ?

Ressurge a Democracia!

“Vive a Nação dias gloriosos. Porque souberam unir-se todos os patriotas, independentemente das vinculações políticas simpáticas ou opinião sobre problemas isolados, para salvar o que é de essencial: a democracia, a lei e a ordem. Graças à decisão e ao heroísmo das Forças Armadas que, obedientes a seus chefes, demonstraram a falta de visão dos que tentavam destruir a hierarquia e a disciplina, o Brasil livrou-se do governo irresponsável, que insistia em arrastá-lo para rumos contrários à sua vocação e tradições […]. Como dizíamos, no editorial de anteontem, a legalidade não poderia ter a garantia da subversão, a âncora dos agitadores, o anteparo da desordem. Em nome da legalidade não seria legítimo admitir o assassínio das instituições, como se vinha fazendo, diante da Nação horrorizada.”

O Globo – Rio de Janeiro – 4 de abril de 1964

  • Retornando acima: democracia nunca houve nesta época por que muita gente foi caçada e até torturada. Se tortura e caçada é dias gloriosos… nem queroi imaginar o que é período de guerra para eles. Vamos fazer uma reflexão no termo “…o Brasil livrou-se do governo irresponsável, que insistia em arrastá-lo para rumos contrários…”, se o governo insistia em arrastar para rumos contrários como diz O Globo, e tinha democracia, por que não resolver isso  de forma realmente democrática ? A “Nação horrorizada” de verdade aconteceria de fato até 1985.

Carnaval nas ruas

“A população de Copacabana saiu às ruas, em verdadeiro carnaval, saudando as tropas do Exército. Chuvas de papéis picados caíam das janelas dos edifícios enquanto o povo dava vazão, nas ruas, ao seu contentamento.”

O Dia – Rio de Janeiro – 2 de abril de 1964

  • Pessoalmente posso até pesquisar se realmente aconteceu essa “chuva de papel picado” em Copacabana. Duvido.  Ainda mais neste “carnaval” como diz.

Escorraçado

“Escorraçado, amordaçado e acovardado, deixou o poder como imperativo de legítima vontade popular o senhor João Belchior Marques Goulart, infame líder dos comuno-carreiristas-negocistas-sindicalistas. Um dos maiores gatunos que a história brasileira já registrou, o senhor João Goulart passa outra vez à história, agora também como um dos grandes covardes que ela já conheceu.”

Tribuna da Imprensa – Rio de Janeiro – 2 de abril de 1964

  • Só para começar, imprensa aqui está muito longe de ser imparcial. Fico pensando se realmente Jango foi realmente covarde se um grupo de Militares destituisse à força ele.

A paz alcançada

“A vitória da causa democrática abre o País a perspectiva de trabalhar em paz e de vencer as graves dificuldades atuais. Não se pode, evidentemente, aceitar que essa perspectiva seja toldada, que os ânimos sejam postos a fogo. Assim o querem as Forças Armadas, assim o quer o povo brasileiro e assim deverá ser, pelo bem do Brasil.”

Editorial de O Povo – Fortaleza – 3 de abril de 1964

  • “Paz alcançada” ? Que paz ? Aquela que foi de 64 a 85 ? O período mais negro da história do Brasil é paz ?

“Milhares de pessoas compareceram, ontem, às solenidades que marcaram a posse do marechal Humberto Castelo Branco na Presidência da República […]. O ato de posse do presidente Castelo Branco revestiu-se do mais alto sentido democrático, tal o apoio que obteve.”

Correio Braziliense – Brasília – 16 de abril de 1964

  • Democracia em Ditadura realmente existe ?

“Vibrante manifestação sem precedentes na história de Santa Maria para homenagear as Forças Armadas. Cerca de 50 pessoas na Marcha Cívica do Agradecimento.”

A Razão – Santa Maria – Rio Grande do Sul – 17 de abril de 1964

  • Pessoalmente não consigo imaginar essa “manifestação sem precedentes” ainda duas semanas depois do golpe dado.

“Sabíamos, todos que estávamos na lista negra dos apátridas – que se eles consumassem os seus planos, seriamos mortos. Sobre os democratas brasileiros não pairava a mais leve esperança, se vencidos. Uma razzia de sangue vermelha como eles, atravessaria o Brasil de ponta a ponta, liquidando os últimos soldados da democracia, os últimos paisanos da liberdade”

O Cruzeiro Extra – 10 de abril de 1964 – Edição Histórica da Revolução – “Saber ganhar” – David Nasser

  • Complicado pensar que, de certa forma entendendo o primeiro termo, se continuasse do jeito que estava, “seríamos mortos”, já que muitos forma mortos e torturados. Democracia… esquece.

“Golpe? É crime só punível pela deposição pura e simples do Presidente. Atentar contra a Federação é crime de lesa-pátria. Aqui acusamos o senhor João Goulart de crime de lesa-pátria. Jogou-nos na luta fratricida, desordem social e corrupção generalizada”.

Jornal do Brasil – Rio de Janeiro – 1º de abril de 1964

  • Se não foi Golpe, foi o que ? Saída voluntária e democrática ? Essa imprensa “imparcial”.

“O Brasil já sofreu demasiado com o governo atual. Agora, basta!”

Correio da Manhã – São Paulo – 31 de março de 1964 – Do editorial: Basta!

  • É o Correio da Manhã que decide isso né ? Irônica frase de mais uma imprensa “imparcial”

“Só há uma coisa a dizer ao senhor João Goulart: Saia!”

Correio da Manhã – São Paulo – 1º de abril de 1964 – Do editorial: Fora!

  • Tanto o nome do Editorial, quando a frase final, mostra que democracia não existe, apoio ao Golpe existiu por parte de nossa “querida” imprensa “imparcial”.

“A Revolução democrática antecedeu em um mês a revolução comunista.”

O Globo – Rio de Janeiro – 5 de abril de 1964

  • E “democracia” ditatorial que a imprensa “imparcial” quis colocar “goela abaixo” na vida dos brasileiros.

“Congresso concorda em aprovar Ato Institucional”.

Jornal do Brasil – Rio de Janeiro – 9 de abril de 1964

  • AI-5, que foi o mais ditatorial dos Atos Institucionais, nem dá para dizer que houve de verdade democracia de verdade.

 

Algumas destas notícias foram replicadas em vídeo no Youtube e explica por que chamam de “Partido da Imprensa Golpista” (abreviada por PIG).

Fontes:

 

Pelo menos aqui, ao contrário do que se divulga por aí e até mesmo em revistas, jornais e até na TV (fora a Internet), tem fonte.

Deixe uma resposta e aguarde ser moderado

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s